Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The A word

The A word

17
Ago20

Pessoas que mereciam umas palmadonas no rabo

Senhor Dom Comodista

AyJay

Pois bem, caros seguidores, hoje tenho uma história para vos contar que me parece que vá conseguir criar por aqui uma trend, tipo rubrica, no meu blog: pessoas que mereciam umas boas palmadonas no rabo (palmadonas a sério, e não do jeito bom de BDSM ).  


Estava eu, AyJay, na fila única do Leroy Merlin à espera para pagar os poucos itens que tinha, quando um desses senhores que estava a pedir por uma boas palmadas decidiu aparecer para me dar conteúdo para o meu próximo post no blog.

Antes de começarmos esta grande aventura, vou tentar dar um pouco de contexto à coisa.
Não sei se todas as lojas da Leroy Merlin funcionam da mesma forma ou se estou a explicar o óbvio aos meus queridos seguidores mas aqui vai a minha melhor descrição (melhor não é sinónimo de boa) do cenário para a trama que nos espera:

A fila única, quando está grandita (como era o caso) consegue chegar até à zona de entrada na loja mas, mal isto acontece, a fila vira para dentro do corredor principal que depois dá origem a vários outros corredores. Este corredor principal é bastante largo e, por isso, a fila única não chega a estorvar a passagem das pessoas que entram na loja e que seguem para o mesmo, que é o caminho lógico a seguir.

Para além disto, devido às novas regras de higiene impostas pela loja por causa do COVID, cada pessoa que está na fila tem de se posicionar de acordo com marcações no chão de maneira a ficar com 2 metros de distância da pessoa da frente, o que acaba por facilitar ainda mais a circulação das pessoas dentro da loja, porque tem espaço para passar entre as pessoas que se encontram à espera na fila.


Bem, após esta breve descrição do cenário e situação inicial, passaremos então à acção da personagem principal desta história: 

Entra em cena a nossa estrela, Senhor Dom Comodista, com os seus 30 e poucos anos (avaliação difícil devido às máscaras que dificultam o reconhecimento facial, mas acho que relativamente justa) e ar de superioridade notável até com a máscara.

Dom comodista , homem que não segue modas mas que cria as suas próprias modas, escolhe, então, não prosseguir pelo o corredor principal e, em vez disso, decide passar pelo meio da fila única e fazer a travessia da loja em sentido contrário ao normal. 

Mas eis que, durante o seu trajeto, Dom Comodista é surpreendido por um terrível e inesperado obstáculo que NUNCA se imaginaria encontrar aquando de uma travessia pelo meio de uma fila única : a senhora que se encontrava à minha frente, Dona Distraída cujo único pecado que cometera tinha sido o de esperar pela sua vez, na fila única para pagar, e que teve o azar de estar no caminho de Dom Comodista e mais, de não se aperceber que se encontrava no caminho de tão importante figura. 

Dom Comodista, quando confrontado com tamanha dificuldade, pára uns segundos para avaliar as suas opções: 

  1. Desviar-se 30 centímetros para o lado, de maneira a passar entre mim e Dona Distraída. Como uma pessoa normal. 
  2. Mudar de estratégia e seguir pelo o corredor principal. Como uma pessoa normal, mas pouco determinada.
  3. Pedir "perdão" e "com licença" para Dona Distraída se desviar do caminho. Como uma pessoa meio preguiçosa, mas ainda normal.

Ao fim de uns bons segundos parado e pensativo, Dom Comodista decide, finalmente, qual vai ser o seu modo de acção: berrar "EU QUERO PASSAR E NÃO CONSIGO! ", tal criança mimada e pessoa anormal. 

Dom Comodista, orgulhoso do seu grande feito, viu Dona Distraída virar-se para o encarar com ar de " mas este c*ralho é burro?!" mas acabar por avançar com um pequenino passo em frente para permitir que Sua Excelência conseguisse passar. E Dom Comodista assim o fez, vitorioso. 

 

Ao fim de alguma reflexão cheguei à conclusão de que Senhor Dom Comodista realmente tomou a decisão mais acertada e acho que todos deveríamos ser um pouco como ele.

Para quê perder tempo a esforçarmo-nos para fazer algo quando podemos incomodar o resto das pessoas e obter o mesmo resultado com o esforço delas?

Eu quero o meu diploma de médica? Vou à secretaria e berro "EU QUERO ACABAR O CURSO MAS NÃO CONSIGO, O SEXTO ANO ESTÁ A ATRAPALHAR!" e eles dizem "Claro, Dona AyJay, que parvoíce a nossa esperar que sua excelência fosse ter de passar por tamanho incómodo! Tem aqui o seu diploma!"

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D